Comissão Escolar da FPJudô anuncia planos para consolidar objetivos ambiciosos no fomento do ensino do judô

Professor Fernando Ikeda, coordenador-geral da Comissão Escolar da FPJudô © FPJCOM

O coordenador-geral da comissão, professor Fernando Ikeda, fala da importância da formação dos professores e da elaboração de conteúdo no ensino do judô na rede do Estado 

Por FPJCOM
30 de novembro de 2021

Criada no segundo semestre de 2019, depois de um ano de atividades restritas devido à pandemia, a Comissão Escolar da Federação Paulista de Judô retomou suas reuniões em 2021, nas quais foram definidas as principais ações a serem desenvolvidas na atual gestão, até 2024. Mesmo assim, no ano passado a CE, em conjunto com a coordenação técnica da FPJudô, conseguiu realizar um inédito Campeonato Virtual de Fundamentos Técnicos, competição que fugiu totalmente aos moldes tradicionais.

Uma das primeiras providências em 2021 foi alterar a própria composição, originalmente com um representante de cada delegacia regional. Com a inclusão de suplentes em todas elas, assegurou-se que nenhuma região deixará de participar das decisões em caso de impedimento do seu titular. Outros tópicos discutidos foram o mapeamento das instituições de ensino que incluem o judô na grade curricular e o panorama da retomada pós-covid-19.

Fernando Ikeda com o falecido professor kodansha Júlio Sakae Yokoyama, ex-presidente do TJD da FPJudô © FPJCOM

O professor Fernando Ikeda, coordenador-geral da comissão, contou que seus integrantes se reuniram com professores de suas delegacias, a fim de conhecer as demandas prioritárias. “Criamos ainda ações para promover o engajamento entre professores, alunos e mantenedores. Nosso planejamento prevê a criação de cursos para capacitação de professores em conjunto com a Comissão Científica da FPJudô e promover um concurso cultural.”

“Para se ter uma ideia da complexidade de inclusão do judô no cenário escolar paulista, em especial no ensino fundamental, basta lembrar que 5 mil estabelecimentos compõem a rede estadual hoje. É imprescindível, portanto, o envolvimento dos professores, uma vez que as ações da FPJudô devem contemplar os interesses mais amplos da comunidade envolvida”, disse Ikeda.

Demanda social

Para o professor Fernando, a Comissão Escolar responde a demandas latentes sentidas pela FPJudô ao longo dos anos. “Todos os praticantes sabem que o judô, além de uma modalidade esportiva, comporta o desejo do professor Jigoro Kano de torná-lo um instrumento de formação integral do ser humano. Como muitas crianças têm o primeiro contato com o judô na escola, a federação foi em busca de parceria com os órgãos competentes para incluí-lo na grade curricular”, explicou.

Há hoje um entendimento quase generalizado de que os professores de judô nas escolas devem ter a graduação de faixa preta. Isso não significa, porém, que todo faixa preta preenche os requisitos necessários para ser professor nas escolas do ensino regular. “No meu entender”, diz Ikeda, “um programa de formação de professores de judô deveria ser algo paralelo ao exame de graduação, destinado àqueles que desejam de fato seguir essa profissão.”

Neste ponto é essencial uma reflexão sobre o processo de formação de faixas pretas da FPJudô, que não inclui nenhum módulo, estágio, curso ou capacitação que vise à formação do professor de judô, não importa a graduação pretendida. O foco está no conhecimento histórico, filosófico e técnico do candidato. Ou seja, o modelo de exame de graduação cumpre o objetivo de avaliar a aptidão (técnica e conhecimento) do candidato para avançar uma graduação, processo que acompanha a evolução do praticante durante toda a vida.

Proficiente, Fernando Ikeda ocupa hoje, diversos cargos na federação paulista e na 1ª DR da Capital © FPJCOM

Um dos pilares do sucesso do judô paulista é a qualidade de seus professores, destaca Ikeda. “O conhecimento e a experiência deles não podem ser desprezados, ao contrário, é preciso compreender, aprender e trazer esses conhecimentos para comissão. É desejo da FPJudô a elaboração de um projeto de formação de professores de judô, mas não seremos levianos ou utópicos em achar que isso se dará do dia para noite. É um projeto grandioso, que deverá ser construído por várias pessoas, envolvendo outras comissões da FPJudô, como a Técnica e a Científica.”

No ano passado, a Comissão Escolar realizou uma prévia do que será o amplo mapeamento para saber o número total de alunos da rede estadual e esse trabalho terá continuidade agora. O professor Ikeda informa que em breve será distribuído um questionário para mapear as escolas e os professores de judô. “Como estamos, porém, num período de retomada das atividades presenciais nas escolas, precisamos compreender como está a situação do judô escolar com a redução das restrições de distanciamento.”

Durante o período de pandemia, a Comissão Escolar criou no YouTube o canal Judô: Ciência na prática, em conjunto com os professores Fábio Gomes e Fernando Garbelotto, com o objetivo de buscar o conhecimento acadêmico e transmiti-lo de uma maneira mais acessível ao público do judô. “Em meio aos temas abordados”, relatou Ikeda, “era comum a discussão recair sobre o papel do professor na formação e manutenção do aluno na prática do judô. Em linhas gerais, concluiu-se que a maneira pela qual o professor intervier e o conteúdo que abordar terão consequências sobre o futuro do estudante dentro da modalidade, o que torna de suma importância a organização do conteúdo a ser trabalhado considerando as características de cada um.”

Atual composição da Comissão Escolar 2021/2024

Coordenador-geral: professor Fernando Ikeda
Secretário: professor Wagner Tadashi Uchida

1ª DRJ Capital: Alex Russo (titular) / Wagner Tadashi Uchida (suplente)
2ª DRJ Vale do Paraíba: Ana Paula Parpinelli (titular) / Isabela Muniz (suplente)
3ª DRJ Centro Sul: Ageo Maurício (titular) / Diego Pezavento (suplente)
4ª DRJ Alta Paulista: Gabriel Bassoli (titular) / Guilherme Trocoli (suplente)
5ª DRJ Noroeste: Omar Miquinioty (titular) / Airton Calado (suplente)
6ª DRJ Araraquarense: Léo Mansor (titular) / Michele Pereira (suplente)
7ª DRJ Sudoeste: Maurício Kawahara (titular)
8ª DRJ Oeste: Leônidas Machado (titular) / Ricardo Pereira dos Santos (suplente)
9ª DRJ ABC: José Mauro (titular) / Leonel Kumagae (suplente)
10ª DRJ Central: Juliana Leitão (titular) / Felipe Coutinho (suplente)
11ª DRJ Litoral: Andrea Berti (titular) / Danilo Gonçalves (suplente)
12ª DRJ Mogiana: Terêncio Neto (Titular) / Tiago Santavicca (suplente)
13º DRJ Alta Sorocabana: Odovvaldo de Mello (titular) / Paulo Costa (suplente)
14ª DRJ Vale do Ribeira: Edson Barbosa (titular) / Edna Pioker (suplente)
15ª DRJ Grande Campinas: Paulo Alvim (titular) / Thiago Valladão (suplente)
16ª DRJ Sul: Leonardo de Oliveira e Silva (titular)

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo