Expectativa e equilíbrio marcam primeiro Campeonato Paulista Sênior no pós-pandemia

Frisson e homogeneidade balizam o primeiro Paulista Sênior no pós-pandemia © FPJCOM

Primeira competição sênior desde o fim da pandemia da covid-19 reuniu 204 judocas de 66 agremiações em São José dos Campos e apresentou nível técnico muito bom

Por Paulo Pinto / FPJudô
2 de maio de 2022 / São Paulo (SP)

Com a apoio da Prefeitura e da Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida de São José dos Campos, a Federação Paulista de Judô (FPJudô) realizou neste sábado (30) o Campeonato Paulista Sênior 2022. Competiram no Ginásio Municipal de Esportes Ney Rodrigues, o Teatrão, 204 judocas de 66 agremiações.

Judocas perfilados no shiai-jô durante a execução do Hino Nacional © FPJCOM

Competição individual com maior glamour, o Campeonato Paulista Sênior reúne sempre as agremiações mais estruturadas e competitivas do Estado, e nesta temporada não foi diferente. As equipes do Esporte Clube Pinheiros, Sesi-SP, Club Athletico Paulistano, Associação Yamazaki de Judô, Judô Clube Mogi das Cruzes, Sociedade Esportiva Recreativa e Cultural Santa Maria, Clube Paineiras do Morumby, São Paulo Futebol Clube, Projeto Social Judô para Todos e Judô Praia Grande ocuparam as primeiras colocações.

Autoridades políticas e esportivas com professores kodansha após a cerimônia de abertura © FPJCOM

Entre as autoridades políticas e esportivas presentes na cerimônia de abertura estavam a doutora Kátia Maria Riêra Machado, a dentista que faz uma gestão diferenciada à frente da Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida de São José dos Campos; Alessandro Panitz Puglia, presidente da FPJudô; Roberto Joji Chiba Kimura, vice-presidente da FPJudô; Marcelo Theotônio, gestor de Alto Rendimento da CBJ; José Bonafé, diretor do programa Atleta Cidadão de São José dos Campos; Marco Aurélio Uchida, coordenador de arbitragem da FPJudô; e Marilaine Ferranti Antonialli, coordenadora adjunta de arbitragem da FPJudô.

Progressivamente a covid-19 perde espaço para os ippons © FPJCOM

Completaram a mesa de honra os delegados regionais Cláudio Calazans Camargo, da 2ª DR Vale do Paraíba; André Gustavo Costa Gonçalves, da 13ª DR Sorocabana; Akira Hanawa, da 14ª DR Vale do Ribeira; Alberto Silva Bittencourt, da 11ª DR Litoral; Celso de Almeida Leite, da 15ª DR Grande Campinas; e Leandro Tomé Correa, da 10ª DR Central, além dos professores kodanshas Orlando Sator Hirakawa, Rubens Pereira, Marcos Mercadante, Antônio Roberto Coimbra, Michiharu Sogabe, Leandro Alves Pereira, Milton Ribeiro Correa, Arnaldo Menani e Paulo Ferraz Alvim Muhlfarth, o Paulo Pi, vereador (Podemos) da Estância de Atibaia.

Maria Riêra Machado, faz uma gestão diferenciada à frente da Secretaria de Esporte e Qualidade de Vida de São José dos Campos © FPJCOM

Presenciaram também competição realizada em quatro áreas oficiais grandes nomes do judô paulista, entre os quais os medalhistas olímpicos Carlos Eduardo Honorato, prata nos Jogos de Sydney (2000), bronze no campeonato mundial de Osaka (2003) e bronze nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo (2003), e Douglas Eduardo Vieira, prata no Jogos de Los Angeles (1984).

Vimos uma classe sênior com muita gente nova © FPJCOM

Após dar boas-vindas a todos, a secretária de Esporte e Qualidade de Vida de São José dos Campos, Kátia Maria Riêra Machado fez grande homenagem ao professor kodansha kyuu-dan (9º dan) Michiharu Sogabe.

Alessandro Panitz Puglia, presidente da FPJudô © FPJCOM

“É com enorme prazer que recebemos vocês em nossa cidade e, principalmente, aqui nesta casa, onde se desenvolve o programa Atleta Cidadão. É aqui neste recinto que ensinamos várias modalidades esportivas, ou seja, é daqui que sai grande parte dos atletas da base joseenses. Faço meus agradecimentos na figura do professor Sogabe, um querido amigo de muitos anos e um exemplo de conduta e retidão. Esta trajetória, à qual tenho hoje a oportunidade de dar a minha contribuição, não só em São José, mas em nossa região, está sendo balizada naquilo que ouvi e aprendi com o sensei Sogabe. Por seu intermédio, faço um cumprimento e agradecimento a toda a equipe da FPJudô, lembrando a todos vocês que o mais importante do esporte é o legado que ele deixa em nossas vidas. O esporte é disciplinador, é ético e nos ensina por meio das derrotas a fazer uma reflexão de como ultrapassar os obstáculos que a vida nos apresenta. São as derrotas que nos fortalecem e nos preparam para a vida. Reitero que todos vocês são muito bem-vindos em nossa cidade.”

João Correia do Club Athletico Paulistano comemora a vitória sobre Gabriel Arruda do Clube Paineiras do Morumby e a conquista da vaga na final © FPJCOM

Cumprimentando a família do judô presente, Alessandro Panitz Puglia fez um agradecimento especial ao governo de São José dos Campos.

Natural de Peruíbe, Mariana Silva voltou para São Paulo para defender o Esporte Clube Pinheiros © FPJCOM

“Cumprimento a todos os membros da família judô que aqui estão para abrilhantar a nossa competição e, em nome da nossa diretoria, agradeço ao governo de São José dos Campos, por meio da secretária Kátia Maria Machado. Estamos realizando uma importante competição do nosso calendário esportivo nesta excelente arena, que atende plenamente às demandas do caderno de encargos de eventos da Federação Paulista de Judô. Parabenizo o professor Leonardo Arashiro, da cidade de Altair, que acaba de ser promovido pela Confederação Pan-Americana de Judô a árbitro FIJ B. Encerro fazendo uma menção especial ao professor Marcelo Theotônio, técnico com origem em Pindamonhangaba, que hoje é o gestor de Alto Rendimento da CBJ e veio a São José prestigiar a nossa competição. Quando atleta ele foi um grande judoca e no passado recente iniciou um grande trabalho nas seleções brasileiras de base, estando hoje à frente da seleção brasileira de judô. É um grande orgulho recebê-lo; conte com o apoio de toda a nossa equipe”, disse o dirigente.

Marcelo Theotônio, gestor de Alto Rendimento da CBJ abrilhantou o Paulista Sênior com a sua presença © FPJCOM

Por fim falou o gestor de alto rendimento da CBJ. “É um enorme prazer estar com todos vocês e voltar para as minhas origens. Desejo boa sorte a todos os atletas que participarão desta competição e, àqueles que seguirem adiante, espero vê-los em breve na seleção brasileira.”

Como sempre acontece, as judocas mostraram garra lutando com a faca na boca © FPJCOM

Técnicos avaliam a competição

Carlos Honorato, técnico do Clube Paineiras do Morumby, sétimo colocado na competição, elogiou a estrutura física do evento e lamentou o número ainda reduzido de judocas na disputa.

Cláudio Calazans Camargo, delegado da 2ª Delegacia Regional Vale do Paraíba © FPJCOM

“O Campeonato Paulista Sênior desta temporada foi realizado num ginásio muito bom, que atendeu a todas as necessidades dos atletas e comissões técnicas. Vestiários adequados, área de competição no tamanho ideal, assim como a área de segurança, tudo isso fez com que a competição fosse muito melhor.  Entendo que a quantidade de atletas, para um campeonato paulista sênior, poderia ser um pouco maior, mas o nível técnico correspondeu. Temos de considerar, é lógico, que foi o primeiro evento após a pandemia, durante a qual ficamos dois anos completos sem nenhuma atividade e muitos atletas mais experientes acabaram tendo de fazer outras coisas nesse período. Acredito que, com o passar do tempo, os próximos campeonatos paulistas seniores terão quantidade maior de judocas, e os mais experientes já terão retornado para o shiai-jô. Mas foi uma competição com nível técnico muito alto, mostrando a força do judô paulista”, disse o vice-campeão olímpico em Sydney.

Lincoln Neves da Associação Yamazaki de Judô de São José dos Campos e Pietro Mühlfarth do São João Tênis Clube de Atibaia fizeram uma luta de gigantes © FPJCOM

O professor kodansha hachi-dan (8º dan) Orlando Sator Hirakawa, um dos grandes forjadores de talentos do País, avaliou que, por conta da pandemia, o nível técnico ficou abaixo da média.

Alessandro Puglia presta homenagem ao professor Marcelo Theotônio © FPJCOM

“Até que a competição não foi muito mal, mas poderia ter sido melhor. Entretanto, depois de dois anos sem atividade, a maioria dos atletas perdeu o ritmo de luta, exceto aqueles que já são muito mais evoluídos e apresentaram excelente nível técnico.  Vimos algumas lutas boas, vencidas por ippon, mas poderia ter sido melhor. De forma geral, creio que caiu um pouquinho o nível técnico, principalmente o preparo físico, mas até que deu para assistir a algumas lutas boas”, comentou Hirakawa.

O árbitro Leonardo Arashiro fez a sua primeira competição como árbitro FIJ B © FPJCOM

Douglas Eduardo Brito Vieira, medalha de prata no Jogos de Los Angeles, professor kodansha shichi-dan (7º dan) e supervisor de judô do alto rendimento do Clube Athletico Paulistano, considerou excelente o certame.

Exibindo excelente performance, o peso leve Michael Marcelino conquistou mais um título para o SESI-SP © FPJCOM

“Entendo foi um supercampeonato, o que já é um ponto de partida para aquilo que idealizamos. Tivemos um ambiente agradável, um ginásio que acomodou a todos, sem dificuldade na visão das áreas e na locomoção. No tocante ao equipamento, a nota é 10 e poderíamos afirmar tranquilamente que é uma arena feita especificamente para o judô, com espaços amplos, vestiários muito bons, tudo limpo asseado e limpo. Tivemos uma retomada em grande estilo no Estado de São Paulo. Poderíamos usar este espaço mais vezes para campeonatos paulistas e até mesmo para grands prix.”

São Paulo vai a Porto Velho (RO) disputar o brasileiro sênior com uma equipe renovada © FPJCOM

Douglas também avaliou muito bem as lutas. “Houve vários combates interessantes, mas no quesito arbitragem poderíamos melhorar na interpretação das novas regras. Como sempre acontece nas mudanças das regras da FIJ, muita gente ainda tem dúvidas. Sugeri à professora Marilaine, que faça algumas lives e mostre alguns vídeos a todos que tenham dúvida”, disse.

Fernando Hirakawa, Marco Antônio da Costa, o Rato e seu sensei, o professor kodansha Orlando Sator Hirakawa © FPJCOM

“Sobre a nossa equipe, estamos trabalhando com afinco e fomos a São José com 13 atletas; disputamos quatro finais e infelizmente ganhamos apenas uma. Apesar da equipe muito reduzida, terminamos em terceiro lugar, o que nos dá a certeza de que o nosso trabalho está sendo muito bem executado no Clube Paulistano, levando o pessoal a conquistar as medalhas. Agora teremos o sub 18 daqui dois finais de semana e o primeiro treinamento conjunto; vamos ver como o pessoal vai se comportar”, concluiu o professor Douglas.

Mais um ippon nos tatamis montados no ginásio Teatrão © FPJCOM

Jefferson Luiz dos Santos, faixa-preta desde 1992 e 4º dan, responsável pelo Projeto Olhar Futuro, de São José dos Campos, avaliou muito bem tanto a organização quanto a qualidade técnica dos judocas.

O Paulista Sênior contou com a participação de 66 agremiações © FPJCOM

“Entendo que a FPJudô fez uma excelente escolha, pois o ginásio do Teatrão é excelente. Recentemente passou por uma reforma e oferece estrutura impecável. O acesso para a torcida, atletas e comissão técnica é muito bom, o que nos faz avaliar a organização digna de grand slams.”

Lincoln Neves comemora a vitória que o colocou na final © FPJCOM

Sobre a área técnica, o técnico joseense afirmou eu São Paulo sempre demonstra uma força gigantesca na classe sênior, com atletas de altíssimo nível compondo a seleção brasileira desde a base, e nesta competição esta realidade foi mais uma vez comprovada. Sensei Jefferson entende que no balanço geral o campeonato foi rápido e gostoso de assistir, com muitas classes feito pódio antes das 17 horas.

O meio-leve Renan Torres do SESI-SP comemora mais um título paulista © FPJCOM

“Sobre o desempenho da nossa equipe, felizmente tivemos algumas surpresas positivas, como a judoca peso pesado Vitória Siqueira, que mesmo sendo ainda sub 18 conquistou a medalha de bronze. Isso nos alegra muito, pois São Paulo irá ao Campeonato Brasileiro Sub 18 muito bem representado. Ainda sobre ela, ficaremos de olho na segunda seletiva para Paris 2024”, disse o técnico do Projeto Olhar Futuro.

Mais e mais judocas subindo para a classe sênior © FPJCOM

Denílson Moraes Lourenço, técnico do Esporte Clube Pinheiros avalia que o desempenho da equipe foi muito bom.

Gabriel Arruda do Clube Paineiras do Morumby e Jonathan Freitas do Instituto Marinho Esteves fizeram um grande combate © FPJCOM

“No entendimento da nossa comissão técnica, o desempenho dos nossos atletas foi bom e seguiu aquilo que vínhamos trabalhando nos treinos. Agora vamos fazer uma análise minuciosa das lutas para corrigir os erros que aconteceram. Sempre existem pontos importantes para corrigir para melhorar a performance dos nossos atletas.”

Com o dedo em riste Michael Marcelino comera a vitória sobre o pinheirense Rafael Freitas na final do peso leve © FPJCOM

“Sobre a estrutura oferecida, confesso que gostei bastante do ginásio de São José dos Campos. Novo, limpo e bem amplo para todos se acomodarem confortavelmente. Como todo evento sempre pode ser melhorado e um dos pontos que gostaria de assinalar seria uma área de aquecimento, além da área de competição.”

Desde a base Michael Marcelino exibe um judô positivo e altamente técnico © FPJCOM

Pinheiros fatura títulos do masculino e do feminino

Nos tatamis o Esporte Clube Pinheiros ratificou a sua soberania na classe sênior, conquistando 13 medalhas, sendo quatro de ouro, quatro de prata e cinco de bronze.

Beatriz Freitas do Esporte Clube Pinheiros e Giovanna Fontes do SESI-SP se cumprimentam após a disputa do bronze © FPJCOM

As medalhas de ouro do Clube Pinheiros foram conquistadas por Mariana Silva, peso meio-médio (63kg); Giovani Ferreira, peso médio (90kg);Karol Gimenes, meio-pesado (78kg), e Lucas Lima, meio-pesado (100kg). As medalhas de prata dos pinheirenses foram conquistadas por Phelipe Pelim, meio-leve (76kg); Rafael Freitas, peso leve (73kg); Vitória Andrade, peso meio-médio (-63kg), e Gabriel Arévalo, peso meio-pesado (100kg). As medalhas de bronze vieram com Jonas Ribeiro, peso leve (73kg); Ketelyn Nascimento, peso leve (57kg); Nauana Silva, peso meio-médio (63kg); Bruna Galloro, peso médio (70kg), e Beatriz Freitas, peso meio-pesado (78kg).

Time do Paineiras comemora mais um pódio © FPJCOM

O Sesi-SP conquistou o vice-campeonato com duas medalhas de ouro e duas de prata. Os ouros foram obtidos por Renan Torres, peso meio-leve (66kg) e Michael Marcelino, peso leve (73kg). As duas de prata foram conquistadas por Michel Augusto, peso ligeiro (60kg), e Wilgner Mendes, peso médio (-90kg).

Gabriel Souza do Projeto Social Judô Para Todos e Isaque Conserva da Associação Yamazaki de Judô fizeram grande final dos pesos-pesados © FPJCOM

O Club Athletico Paulistano assegurou a terceira colocação totalizando sete medalhas, sendo uma de ouro, três de prata e três de bronze.

A comissão técnica e os 13 medalhistas do Esporte Clube Pinheiros, o grande campeão do Paulista Sênior 2022 © FPJCOM

A medalha de ouro do Paulistano foi conquistada por João Correia, peso ligeiro (60kg). As medalhas de prata vieram com Laura Ferreira, peso ligeiro (48kg); Amanda Culato, peso leve (57kg), e Samara Oliveira, peso médio (70kg). Os bronzes foram conquistados por Kenia de Souza, peso meio-leve (52kg); Adriano Miwa de Sousa, peso meio-médio (81kg), e Victor Nascimento, peso médio (90kg).

Classificação por agremiação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo