Grand Prix ratifica a tradição do Esporte Clube Pinheiros e a força do judô paulista

O clube da capital paulista conquistou o octacampeonato do masculino e ainda foi vice-campeão do feminino.
Protagonista de vitórias emocionantes nos naipes masculino e feminino, o Esporte Clube Pinheiros foi o grande campeão do Grand Prix Nacional Masculino. Mas outros clubes paulistas brilharam na disputa e escreveram seus nomes na competição.

Para subir no lugar mais alto do pódio, a equipe paulista venceu três das cinco lutas contra o Minas Tênis Clube e garantiu seu oitavo título da competição. Com a conquista, o clube paulista foi escalado para representar o Brasil no Super Desafio BRA contra Portugal e, mais uma vez sagraram-se campeões.

“O ponto de minha luta era muito importante. Vibrei muito porque é uma disputa por equipe e venci nos últimos dez segundos. Não dá pra explicar a sensação que é quando você joga no fim da luta. Foi um combate muito duro e eu queria dar os parabéns para o Eduardo Katsuhiro. É um atleta excelente e foi um detalhe que decidiu”, comemorou Marcelo Contini responsável pelo segundo ponto de sua equipe (2 a 0) na final contra o Minas.

Na disputa pelo quinto lugar Sogipa e Osasco/Yanaguimori protagonizaram uma disputa acirrada e de altíssimo nível técnico, onde o time osasquense superou a fortíssima Sogipa por 3 a 2.

Quatro equipes paulistas brigaram no feminino

No naipe feminino duas equipes paulistas classificaram-se entre as cinco primeiras colocadas e já garantiram vaga no grupo de elite do Grand Prix Feminino 2016.

Na decisão pelo ouro as pinheirenses começaram melhor, com vitórias de Eleudis Valentim sobre Raquel Silva, e de Fabiana Oliveira sobre Tamires Crude. Mas, no terceiro e decisivo combate, a campeã mundial de 2013, Rafaela Silva conseguiu o ippon fazendo Jéssica Santos desistir da luta e colocando o Instituto Reação de volta na briga pelo título. Anne Lissewski entrou com a responsabilidade de fazer o ponto de empate e não fracassou, vencendo Anne Carmo. Coube, então, à experiente Maria Suelen Altheman fazer o terceiro ponto das cariocas e superar a jovem Aine Schmidt.

Na disputa do quinto lugar aconteceu um clássico do judô paulista, onde o São José dos Campos derrotou a Sociedade Esportiva Palmeiras por 4 a 1 e garantiu o quinto lugar na classificação geral. Reforçado pela campeã olímpica Sarah Menezes, que venceu cinco das suas seis lutas, o OAS Inhumas Goiás venceu o SESI/SP por 3 a 2 e o time paulista ficou em oitavo lugar.

Em Goiânia (GO), Alessandro Puglia avaliou o desempenho das equipes femininas de São Paulo no GP feminino, principal competição interclubes de judô do Brasil. “Metade das equipes que disputaram esta edição do Grand Prix feminino são de São Paulo, e só este dado reflete a estrutura das equipes de nosso Estado. Mas vimos aqui uma competição de altíssimo nível técnico protagonizada por times fortíssimos mostra que o judô feminino brasileiro atravessa um grande momento. No GP Masculino o Clube Pinheiros foi octacampeão e reafirmou sua condição de maior vencedor da história do Grand Prix de Judô”.

Fotos Imprensa/CBJ

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo