Instituto Kodokan do Brasil homenageia professores agraciados com a comenda Kasato Maru

Diversas entidades estão promovendo em vários pontos do Brasil enorme gama de eventos comemorativos dos 110 anos de imigração japonesa.

Na tarde de sexta-feira (24), o Bunkyo Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa de Assistência Social outorgou a comenda Kasato Maru para 110 homenageados, em cerimônia realizada pela Comissão para Comemoração dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil.

A finalidade da comenda é identificar e homenagear as pessoas físicas e jurídicas que contribuíram para o desenvolvimento da comunidade nipo-brasileira e para o crescimento da relação entre Brasil e Japão.

Entre os imigrantes homenageados pelo governo japonês estavam os professores kodanshas Shiro Matsuda (7º dan), radicado na Região dos Lagos, em Macaé (RJ); Michiharu Sogabe (9º dan), radicado no Vale do Paraíba, na cidade de São José dos Campos, e Mitsugu Iwafune (7º dan), professor falecido que difundiu o judô em Belo Horizonte e várias regiões de Minas Gerais.

Após a cerimônia, o Instituto Kodokan do Brasil ofereceu jantar a várias autoridades e personalidades de destaque do judô nacional, entre as quais Francisco de Carvalho Filho, presidente de honra da Federação Paulista de Judô (FPJudô); Takanori Sekine, presidente do Instituto Kodokan do Brasil (IKB), e esposa Itsuko Sekine; Shuhei Okano, presidente de honra do Instituto Kodokan do Brasil, e esposa Reiko Okano; Hatiro Ogawa, presidente do Hombu Budokan, e a filha Karina Ogawa; Shiro Matsuda e esposa Regina Celi Silva; Maria Mikiko Sogabe e Yasuhiro Sogabe, esposa e filho do sensei Sogabe; Nobuharu Iwafune e esposa Ana Iwafune; Uichiro Umakakeba e a esposa Linda Naomi Umakakeba; Jiro Ayoama, delegado da 7ª DRJ Sudoeste; Fuminori Kanegane, diretor financeiro do Instituto Kodokan do Brasil, e esposa Yukie Kanegane; Lúcia Silva, assistente do sensei Matsuda; Gustavo Carvalho Ferrari e Max Trombini, coordenador da AJB.

Takanori Sekine explicou por que o Instituto Kodokan do Brasil prestou homenagem aos professores laureados pelo governo japonês.

“O IKB não poderia deixar de comemorar a outorga feita pelo governo do Japão aos professores Michiharu Sogabe, Mitsugu Iwafune e Shiro Matsuda, pelos relevantes serviços prestados na difusão da cultura japonesa. Aproveitamos a oportunidade para comemorar também a premiação feita pelo Ministério das Relações Exteriores do Japão ao professor Uishiro Umakakeba e referendar a indicação do professor Jiro Aoyama, delegado da 7ª DRJ, que foi nomeado pelo governo do Japão coordenador do Projeto do Judô nas Escolas de 2018, cargo ocupado pelo sensei Uishiro Umakakeba em 2017”, disse o dirigente, que também falou sobre a origem desta iniciativa.

“As homenagens prestadas a estes grandes professores de judô fazem parte da comemoração dos 110 anos da imigração japonesa no Brasil. Comemorações e festejos que no mês de passado trouxeram ao Brasil a princesa Mako e oito governadores de províncias do Japão”, concluiu o presidente do IKB.

Em seu pronunciamento, o professor Shuhei Okano explicou a importância das premiações feitas aos professores Umakakeba, Sogabe, Matsuda e Iwafune.

“A comenda Kasato Maru homenageia os imigrantes japoneses que desbravaram o Brasil, país distante e com história e cultura muito diferentes das japonesas, e reverencia o esforço daqueles que vêm trabalhando na divulgação dos valores e princípios culturais do Japão na orientação e formação de crianças brasileiras, por meio dos ensinamentos do mestre Jigoro Kano”, disse Okano.

No encontro o professor Okano explicou que ofereceu este jantar e fez questão de convidar as esposas dos homenageados.

“Tenho certeza de que o trabalho de vocês não foi fácil, mas com o auxílio e o empenho de suas respectivas esposas venceram os desafios e chegaram onde estão. Por isso fiz questão da presença delas e ligamos para todas convidando pessoalmente”, disse o presidente de honra da IKB.

O professor Hatiro Ogawa traduziu a fala de Reiko Okano, a esposa do sensei Okano, que enfatizou o empenho dos professores japoneses que, apesar das dificuldades e limitações idiomáticas, transmitem os aspectos técnicos e filosóficos do judô.

“Casei-me com sensei Okano e na época não entendia nada de judô. Hoje continuo não entendendo, mas percebo que a dedicação de meu marido e demais senseis envolvidos na difusão do judô proporciona muitos benefícios na formação do ser humano. Admiro muito o trabalho de todos os professores, em especial os que ensinam o judô”, externou Reiko Okano.

Responsável pela iniciativa de realizar o encontro, Shuhei Okano exigiu a presença de Francisco de Carvalho Filho, presidente de honra da FPJudô, no jantar comemorativo.

“Gosto muito do professor Francisco. Ele é um dos brasileiros que mais conhece a cultura japonesa, por isso fiz questão da presença dele. O Francisco começou no judô muito cedo, e seu sensei o educou dentro daquilo que ensinamos às crianças no Japão. É por isso que ele desenvolveu uma visão mais ampla dos hábitos e costumes japoneses. Ele valoriza muito as nossas origens, os princípios e a hierarquia”, concluiu sensei Okano.

Os homenageados

Nascido em 4 de abril de 1933 na cidade de Miyako, na província de Iwate, no Japão, Mitsugu Iwafune chegou ao Brasil em 14 de julho de 1959 e iniciou a difusão do judô em 1960 na cidade de Itaquaquecetuba (SP). Posteriormente mudou-se para Belo Horizonte e formou judocas nas cidades de Poços de Caldas, Ipatinga e Belo Horizonte. Em 30 de outubro de 2006 o professor kodansha 7º dan faleceu, deixando como legado a transmissão dos princípios do judô a milhares de brasileiros.

Representando o pai na cerimônia de outorga da comenda Kasato Maru e no jantar oferecido pelo IKB, Nobuharu Iwafune comentou a homenagem feita a seu pai pelo Bunkyo Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e o Instituto Kodokan do Brasil.

“Foi uma grande honra ver a o esforço e a dedicação de meu pai destacados numa cerimônia tão importante. Agradeço o jantar oferecido pela IKB, assim como o reconhecimento do trabalho de meu pai no cenário judoísta nacional”, disse Sensei Nobuo.

Uma das maiores referências do judô na Região dos Lagos, o professor Shiro Matsuda foi o representante do Estado do Rio de Janeiro no evento realizado pela Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e no jantar oferecido pelo IKB.

Em sua avaliação da iniciativa do Instituto Kodokan do Brasil, o professor kodansha de Macaé falou de sua admiração por sensei Okano, e destacou a importância do judô no cenário sociocultural do Brasil.

“Em cada encontro que tenho com o professor Okano sinto como se estivesse voltando para a família, para o lugar onde respiro o ar do judô e vou tomar água da fonte. Há sempre o gosto do aprendizado com o pai, que quer passar suas experiências de adaptação a uma nova geração sem perder a essência e a espinha dorsal do verdadeiro judô”, disse Matsuda.

“Entendo que a premiação feita aos quatros professores comprova o grau de importância do judô no Brasil. Cada pessoa homenageada desenvolveu um trabalho relevante em prol do judô e da cultura japonesa, e o governo do Japão acertou ao reverenciar homens e mulheres que dignificam o país”, disse Matsuda sensei.

Promovido a faixa vermelha 9º dan em 11 de dezembro de 2014, o professor kodansha Michiharu Sogabe é uma das maiores referências entre os professores paulistas em atividade. Membro da comissão de graduação da Confederação Brasileira de Judô, Sogabe teve um compromisso com a CBJ e foi representado por sua esposa e filho nos dois eventos realizados em São Paulo.

“Recebi a notícia de minha indicação com muito orgulho, principalmente por estar sendo homenageado pela divulgação e a manutenção da cultura japonesa no Brasil. Acredito que o grande legado dos imigrantes tenha sido o aporte cultural que o Japão disponibilizou aos brasileiros. O Brasil recebeu engenheiros, economistas e muita gente capacitada e que, devido à dificuldade do idioma, atuaram inicialmente na lavoura e na agricultura. Como descendente de japoneses sinto-me honrado por ter de alguma forma colaborado na expansão da cultura deles”. Disse Sogabe.

Agradecendo a homenagem feita pelo governo japonês, Uichiro Umakakeba dividiu os méritos desta conquista com todas pessoas que o apoiaram e incentivaram.

“Recebi a homenagem do governo do Japão com extrema honra. Atribuo este tributo primeiramente a Deus que me abençoa, e também aos meus pais que sempre me incentivaram a buscar meus próprios caminhos. Agradeço também ao professor Chiaki Ishii, que me ensinou o judô competitivo, e não posso deixar de dividir esta importante homenagem com toda a comunidade de Bastos que sempre nos apoiou financeiramente o que permitiu que em 1990 inaugurássemos um dos maiores dojôs do Brasil”, expressou sensei Umakakeba.

Fazendo um balanço final das homenagens prestadas aos quatro professores de origem japonesa, Francisco de Carvalho Filho lembrou que todos são referência em seus Estados.

“Recebi o convite feito pelo professor Shuhei Okano, e fiquei muito feliz por saber que três judocas haviam sido homenageados no evento realizado pela Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa. Isto comprova a importância do judô no cenário cultural do Japão, da mesma forma que a realização do encontro promovido pelo Instituto Kodokan do Brasil em São Paulo reafirma a pujança do nosso Estado na modalidade”, disse o dirigente paulista.

“O professor Okano é uma referência para todos nós, atuou na seleção japonesa de judô, foi técnico da seleção brasileira e edificou um histórico extremamente importante para o nosso judô, e entendo que devemos evidenciar e valorizar sua atuação em nosso cenário, já que ele é um dos poucos professores japoneses ainda em atividade”, enfatizou o dirigente, que concluiu endossando o a importância do trabalho realizado pelos professores premiados.

“Os professores homenageados pelo governo japonês e pelo Ministério das Relações Exteriores do Japão desenvolveram um trabalho importantíssimo para o judô em suas regiões e Estados. Além de formar medalhistas olímpicos, o professor Umakakeba construiu o maior dojô do Brasil em Bastos. O sensei Shiro Matsuda é a maior referência de nossa modalidade na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Sensei Mitsugu Iwafune foi um dos introdutores do judô em Minas Gerais. O professor Michiharu Sogabe teve papel importantíssimo na gestão da FPJudô, em todo o Vale do Paraíba. O governo do Japão fez uma justa homenagem a quatro professores notáveis”, concluiu Francisco de Carvalho.

Por: Paulo Roberto Pinto – revista Budô
Fotos: Lucia Silva

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo