Judocas paulistas entram na rotina de treinos com os alunos da Budo University

A semana de estágio no Japão começou de forma intensa para os judocas da seleção paulista sub 18. Como parte do treinamento físico, nesta terça-feira (8), na parte da manhã, as seleções masculina e feminina dedicaram-se a uma corrida pela cidade de Katsuura. Após o café da manhã, participaram de uma palestra sobre história e filosofia do judô, proferida pelo diretor do departamento de judô e professor na Budo University Kensuke Ishii.

Os alunos da Budo University também assistiram à palestra. Durante uma hora e meia, o professor Kensuke Ishii discorreu sobre a história do shihanJigoro Kano, seus princípios e filosofia que fundamentam o sistema e a doutrina ética-filosófica da modalidade. Segundo Ishii, para aqueles que querem ser atletas de judô, é essencial conhecer a modalidade desde seus primórdios.

Na parte da tarde, das 16h30 às 19h, a categoria masculina treinou no Centro de Pesquisa Nippon Budokan. O aquecimento dividiu-se em uchi-komi parado e depois em linha. Em seguida, os atletas fizeram dez randoris com duração total de 50 minutos. “Nesse tempo, cada grupo de atletas ficava no centro dos tatamis, e trocava somente de parceiros. Foi um dia extremamente produtivo e cansativo para toda a equipe. Amanhã, faremos um treino técnico apenas com a equipe brasileira”, explicou o professor Paulo Pi.

Para a professora Solange Pessoa, as meninas estão dedicando-se muito aos treinos e demonstrando bastante interesse em aprender. “Havia, em média, mais de 40 atletas, a maioria faixa-preta. Realizaram uchi-komi parado e em movimento, em seguida fizeram em média 20 randoris de diferentes formas, depois com golden score e, para finalizar, randori de ne-waza”, detalhou a sensei Solange.

O judoca Gabriel Anselmo acredita que o forte dos japoneses que estudam na Budo University é a rapidez na troca de kumi-kata. “Eles são muito mais rápidos que nós nesse aspecto, são mais fortes e por meio da pegada acabam controlando melhor a luta. Eles também trabalham muito bem o ashi. Os treinos são muito puxados;nos 50 minutos ininterruptos de randori de hoje conseguimos chegar ao nosso limite. Em apenas dois dias, já percebi uma evolução na velocidade, na troca de pegada e na intensidade da força que exerço contra eles. Estou me adaptando e aprendendo muito”, contou o peso ligeiro que defende o Clube Paineiras do Morumby.

Por: Isabela Lemos
Fotos: Budopress/F.P.Judô

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo