O paulista Leonardo Pontes Arashiro é promovido a árbitro continental – FIJ B

Leonardo Augusto Pontes Arashiro exibe o certificado de árbitro continental FIJ B © Arquivo

No exame da Federação Internacional de Judô realizado em Lima quatro árbitros brasileiros foram promovidos a FIJ B e dois elevados a FIJ A

Por Paulo Pinto / FPJCOM
26 de abril de 2022 / São Paulo (SP)

Em paralelo ao Campeonato Pan-Americano e Oceania realizado em Lima, no Peru, a Federação Internacional de Judô (FIJ) realizou o exame de arbitragem da Confederação Pan-Americana de Judô desta temporada; quatro brasileiros foram promovidos a FIJ B (árbitro continental) e dois, a FIJ A (árbitro internacional).

Os árbitros aprovados na categoria FIJ B são Kamila Elisabete Lemos, de Santa Catarina; Bruna Medeiros Neves, do Rio de Janeiro; Érika Damasceno César, do Distrito Federal; e Leonardo Augusto Pontes Arashiro, de São Paulo. Os promovidos a FIJ A são Márcio Gomes, de Rondônia; e Luiz Emílio Villanueva, do Mato Grosso do Sul.

Além da prova prática no evento, os candidatos passaram por exames teóricos e de idiomas, como o inglês e o espanhol, para receber o distintivo da FIJ de árbitro continental. Esse é um passo importante para os profissionais da arbitragem que almejam chegar ao nível seguinte, a classe FIJ A (árbitro internacional), condição para atuarem em eventos internacionais como grand slams, campeonatos mundiais e Jogos Olímpicos.

Os árbitros FIJ A, Laedson Lopes (RN), Edison Minakawa (SP) e André Mariano com os novos quatro árbitros FIJ B, Leonardo Arashiro (SP), Kamila Elisabete Lemos (SC), Bruna Medeiros Neves (RJ) e Erika Damasceno César (DF) © Arquivo

Os seis candidatos prestaram exame durante as competições, sendo observados de perto por Florin Daniel Lascau, diretor de arbitragem da Federação Internacional de Judô. Eles arbitraram diversas lutas na fase preliminar e foram escalados para atuar nas fases finais, o que indica bom desempenho.

São Paulo comemora a conquista

“Na semana passada recebemos a notícia da aprovação de Leonardo Arashiro a árbitro continental, e para todos nós de São Paulo isso é motivo de muito orgulho”, disse Takeshi Yokoti, coordenador de arbitragem da Federação Paulista de Judô. “A FPJudô vem trabalhando com afinco na orientação dos critérios adotados pela FIJ. Prova disso é que recentemente tivemos sete árbitros promovidos a aspirantes da FIJ e, posteriormente, eles irão postular uma vaga para FIJ B, assim como o professor Leonardo.”

Falando especificamente sobre os critérios, Yokoti entende que a FIJ está sendo muito criteriosa nas indicações dos novos candidatos para os exames de arbitragem na aplicação das provas para o exame ao quadro de árbitros internacionais. “Existem três critérios básicos para estas indicações, e o primeiro deles é a idade: a FIJ tende a colocar árbitros com idade mais baixa. O segundo critério é a fluência na linguagem, em especial no inglês. O terceiro é o conhecimento profundo dos fundamentos técnicos do judô. O arbitro tem de preencher este requisito para ser aprovado, e os candidatos passam por uma prova rigorosa e exaustiva”, detalhou Yokoti.

Leonardo Arashiro com os dirigentes Edison Minakawa, gestor nacional de arbitragem, diretor de Arbitragem da Federação Sul-Americana e comissionado da Federação Pan-Americana e Florin Daniel Lascau, diretor de arbitragem da Federação Internacional de Judô © Arquivo

O dirigente lembrou que historicamente o Estado de São Paulo sempre foi um centro formador de importantes árbitros. Em nível paulista, nacional e internacional, a FPJudô sempre formou referências e mestres na arbitragem. “De forma geral, tivemos grandes nomes que fizeram história na arbitragem internacional, seja colaborando na edificação das regras ou arbitrando em mundiais e nos Jogos Olímpicos. Para nós, o fato de termos mais um árbitro no quadro internacional é motivo de grande orgulho. Temos vários árbitros FIJ A e FIJ B e o Leonardo Arashiro veio para complementar essa lista”, comemorou Takeshi Yokoti.

Aos 43 anos, o professor go-dan (5º dan) Leonardo Augusto Pontes Arashiro dedica-se à arbitragem desde 1995, e a sua recente promoção é um passo muito importante para o sonho de todo e qualquer árbitro, que é um dia tornar-se árbitro internacional.

“Meu maior desafio foi manter a calma durante o exame, pois foram muitos anos de dedicação para chegar até esse ponto. Mas essa promoção não é só minha – quero deixar meus agradecimentos a todos que colaboraram e foram corresponsáveis pela concretização desse sonho fundamentado no jita-kyoei. Foram muitas pessoas envolvidas nessa promoção e peço desculpas caso esqueça alguém.”

Os quatro árbitros brasileiros fazem a prova teórica © Arquivo

Em seguida, Arashiro mencionou especificamente os senseis Takeshi Yokoti e Marilaine Ferranti Antonialli, da arbitragem da FPJudô; senseis Fábio Feltrin, delegado da 6ª DR Araraquarense; Alessandro Puglia, presidente da FPJudô; e seu sensei Edison Minakawa, gestor nacional de arbitragem, com quem treina desde os 5 anos de idade e que o motivou a seguir na arbitragem.

“Quero também agradecer à diretoria da CBJ pela minha indicação”, acrescentou. “Não posso deixar de agradecer a meus amigos e irmãos senseis Kendi Yamamoto e Wagner Tadashi Uchida, que organizaram uma rifa para me ajudar com os custos da viagem, e a todos que colaboraram tanto comprando as rifas quanto pronunciando palavras de apoio e motivação.”

O professor Leonardo Augusto Pontes Arashiro é responsável técnico da Associação de Judô Arashiro, de Altair, cidade com 5 mil habitantes, fundada em 1959 e distante 473 km da capital. O Judô Arashiro é filiado à 6ª Delegacia Regional Araraquarense.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo