São Paulo conquista 14 medalhas, quebra tabu e sagra-se campeão brasileiro sênior

A técnica paulista, Maria Suelen Altman exibe o troféu de campeã do naipe feminino © Lara Monsores / CBJ

Há cinco anos São Paulo não vencia este certame, e o resultado histórico mostra que hoje o judô paulista foca no desenvolvimento técnico                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               

Por Paulo Pinto / FPJCPM
14 de junho de 2022 / São Paulo (SP)

No último fim de semana a Confederação Brasileira de Judô realizou o Campeonato Brasileiro Sênior, competição de maior visibilidade e glamour no cenário nacional, que levou 256 judocas de 26 Estados a Porto Velho, capital de Rondônia, na Região Norte.

A elite do judô nacional – 110 judocas na categoria feminina e 146 na masculina – competiu no Ginásio Cláudio Coutinho, mas apenas Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo levaram equipes completas (18 atletas) e foram os três Estados que ocuparam os primeiros lugares no masculino, no feminino e na classificação geral.

Pamella Barbosa Palma do São Paulo Futebol Clube a campeão do peso médio © Lara Monsores / CBJ

São Paulo foi o campeão geral, amealhando 14 medalhas, ou seja, 25% das disputadas. Após chegar a sete finais, os paulistas totalizaram quatro medalhas de ouro, três de prata e sete de bronze.

O Estado de Minas Gerais, segundo colocado na classificação geral, obteve oito medalhas, sendo três de ouro, quatro de prata e uma de bronze.

Na final do peso médio, Giovani Henrique Ferreira joga o carioca Cleyanderson da Silva com de-ashi-harai © Lara Monsores / CBJ

A seleção do Estado do Rio de Janeiro chegou em terceiro com nove medalhas, sendo três de ouro, duas de prata e quatro de bronze.

No masculino Minas Gerais obteve a primeira colocação, São Paulo a segunda e Rio de Janeiro a terceira. Já no feminino São Paulo ficou em primeiro lugar, Rio de Janeiro em segundo e Minas Gerais em terceiro.

São Paulo faz história

Para muitos o resultado geral espelha a realidade do judô brasileiro, mas para aqueles que militam a fundo no judô a conquista bandeirante marca a retomada da hegemonia tão esperada.

A nova diretoria técnica da FPJudô, colocou muita energia para formar uma seleção paulista forte e renovada, dando espaço para novos atletas que buscam destaque cenário nacional e internacional, aposta em atletas que tem “fome e sede de judô”.

Dirigentes comemoram resultado

É importante destacar que, enquanto cariocas e mineiros foram a Roraima com atletas experientes, São Paulo desembarcou em Porto Velho com uma seleção formada eminentemente por judocas novos, que não se intimidaram diante de adversários acostumados a competições nacionais.

Na equipe de Minas Gerais havia atletas tarimbados como Amanda Lima (48kg), Maria Taba (52kg), Eduardo Silva (100kg) e Juscelino Nascimento (+100kg). Além de Jéssica Pereira, os cariocas lançaram mão até mesmo da campeã olímpica Rafaela Silva, que lutou e venceu no peso de cima.

Bárbara Faria Ribeiro da ADC Embraer a campeã do peso meio-pesado © Lara Monsores / CBJ

A única atleta paulista com mais experiência em Porto Velho foi Mariana Silva (63kg), o que não ofuscou a força dos jovens que se impuseram e construíram um resultado que há muito não acontecia.

Após o feito histórico, Alessandro Panitz Puglia, presidente da FPJudô, enfatizou que a última conquista do Estado de São Paulo no Campeonato Brasileiro Sênior ocorreu em 2017.

Maria Suelen Altman comemora a vitória de Giovani Ferreira na final © Lara Monsores / CBJ

“Há cinco anos não vencíamos o sênior, o que valoriza ainda mais o desempenho dos jovens judocas paulistas em Rondônia. Esse resultado premia o trabalho que todos os professores e técnicos desenvolvem para reerguer o judô do nosso Estado. Isso reflete a nova política de intercâmbio interno que sistematicamente tem levado atletas da base e do alto rendimento para treinar no Centro de Aperfeiçoamento Técnico da Água Branca e no Centro de Excelência Esportiva de São Bernardo do Campo. Estamos determinados a resgatar a nossa hegemonia, estabelecer importantes marcas e temos certeza de que daqui por diante será sempre assim”, previu o dirigente.

Outro diretor bastante motivado com a campanha paulista em Porto Velho foi o professor san-dan Arnaldo Luiz de Queiroz Pereira, secretário-geral da entidade, ex-dirigente do Esporte Clube Pinheiros e torcedor fervoroso do judô paulista.

Giovani Henrique Ferreira do Esporte Clube Pinheiros o campeão do peso médio © Lara Monsores / CBJ

“Não vou falar sobre a área técnica, pois temos na FPJudô treinadores extremamente capacitados que pensam 100% do seu tempo na periodização e no planejamento do trabalho para seus atletas em suas escolas e clubes. Falarei apenas da estrutura que estamos disponibilizando e é fundamentada em oferecer a melhor condição possível para que o time paulista viaje em condições de competir bem e em condições logísticas adequadas.”

O dirigente expôs também que existe um esforço da diretoria em fornecer material esportivo como judogis, agasalhos, camisetas e demais acessórios para todas as seleções.

Pamella Barbosa Palma comemora a conquista do ouro inédito © Lara Monsores / CBJ

“Este projeto envolve desde o sub 13 até o sênior e o mesmo foi criado para que todos os atletas possam se sentir bem em envergar o nosso escudo e defender as cores da FPJudô. Estamos fazendo questão de investir para que os treinadores, que estão no dia a dia com seus atletas, possam viajar com o grupo da seleção. Isso nos traz uma vantagem competitiva e demonstra a meritocracia necessária para que todos acreditem no projeto esportivo de São Paulo. Lembro que temos procurado ouvir e atender às demandas da comissão de treinadores e digo com certeza que tudo isso é só o começo de uma grande jornada, pois o melhor ainda está por vir”, concluiu Queiroz.

Seleção Paulista

Conquistaram medalhas de ouro para São Paulo Ketelyn Araújo Nascimento / Esporte Clube Pinheiros (57kg), Pamella Barbosa Palma / São Paulo Futebol Clube (70kg), Bárbara Faria Ribeiro / ADC Embraer (78kg) e Giovani Henrique Ferreira / Esporte Clube Pinheiros (90kg).

Emocionado, Giovani Ferreira comemora a conquista de mais um ouro nacional © Lara Monsores / CBJ

As medalhas de prata foram obtidas por Karol Priscila Bueno Salvador Gimenes / Esporte Clube Pinheiros (78kg), Caio Henrique Alves Pinto Brígida / Associação Yamazaki de Judô (81kg) e Lucas Antônio Martins Lima / Esporte Clube Pinheiros (100kg).

Os bronzes vieram com Layana Lacerda Soares Colman / Clube Paineiras do Morumby (57kg), Agatha Martins Silva / Judô – Praia Grande (+78kg), Mariana dos Santos Silva / Esporte Clube Pinheiros (63kg), Phelipe Pelim / Esporte Clube Pinheiros (66kg), Rafael Bondezan de Freitas / Esporte Clube Pinheiros (73kg), Isaque Victor Medeiros Conserva / Associação Yamazaki de Judô (+100kg) e Gabriel Gouveia de Souza / P. Social Judô Para Todos / Prof. Farath (+100kg).

Pódio por entidades com o técnico Fúlvio Miyata de Minas Gerais exibindo o troféu de campeão masculino © Lara Monsores / CBJ

A coordenação técnica da FPJudô agradece os atletas que completaram a seleção paulista e independentemente do resultado obtido, deram o seu melhor na competição. São eles João Paulo dos Santos / Club Athletico Paulistano (60kg), Renan Ferreira Torres / SESI-SP (66kg), Amanda Alves Santos / Soc. E. R. C. Santa Maria (48kg) e Marcela Kin Campos Shimada / Judô Clube Mogi das Cruzes (52kg).

A comissão técnica paulista foi a Rondônia com os seguintes professores: Yoshio Kimura Ikegaya (Judô Clube Mogi das Cruzes), chefe da delegação, Maria Suelen Altman (Esporte Clube Pinheiros), Alberto Silva Bittencourt (Judô Praia Grande), Alexandre Dae Jin Lee (Sesi-SP) e Luís Carlos Farias, o Guapo (Secretaria de Esportes de São José dos Campos).

Pódio por entidades com a técnica Maria Suelen Altman de São Paulo exibindo o troféu de campeã feminina © Lara Monsores / CBJ

Clique AQUI e veja a classificação geral e individual masculina e feminina do Campeonato Brasileiro Sênior de 2022.

Clique AQUI e acesse a pasta de fotos dos eventos da Federação Paulista de Judô no Flickr.

A Federação Paulista de Judô tem apoio da Ajinomoto do Brasil, Original Tatamis, Shihan Kimonos, MKS/Adidas e Budokan Kimonos. Por meio das suas 16 delegacias regionais a entidade congrega mais de 10 mil atletas federados e está presente em 282 municípios do Estado de São Paulo. Anualmente a FPJudô credencia cerca de 1.500 técnicos e 950 árbitros, que atuam em competições regionais, estaduais, nacionais e internacionais.

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo