Seletiva evidencia supremacia técnica do judô paulista

Com quase 60% das medalhas de ouro conquistadas em Lauro de Freitas, São Paulo inicia a temporada 2016 contabilizando um ano de conquistas dentro e fora dos tatamis.

Contra fatos não há argumentos e resultados não podem ser refutados. Mesmo com a grande migração de judocas de São Paulo para outros Estados, o judô paulista detém hegemonia absoluta no cenário nacional.

Além da renovação e definição de nomes no ranking nacional, as seletivas apontam vários indicativos e mostram claramente em quais Estados o judô está avançando.

Fazendo uma análise fundamentada apenas nas medalhas de ouro concluímos que o judô nacional avança em todas as regiões do País, já que todas marcaram presença no lugar mais alto do pódio.

Juntos São Paulo e Minas Gerais conquistaram 20 medalhas de ouro para a Região Sudeste. O Rio Grande do Sul garantiu 4 ouros para a Região Sul. Mato Grosso do Sul arrebatou 4 ouros para a Região Centro-Oeste. Pernambuco garantiu três ouros para a Região Nordeste e o Amazonas inseriu a Região Norte na elite das classes juvenil e júnior, conquistando uma medalha de ouro.

A grande notícia foi a consolidação do Mato Grosso do Sul como segunda maior força do judô do País na base. Reescrevendo resultados que vêm acontecendo sucessivamente nas últimas temporadas, com 4 medalhas de ouro e 5 de prata os sul-mato-grossenses superam os gaúchos que obtiveram apenas 4 ouros.

Como sempre acontece São Paulo sobrou no sub 18 abocanhando 22 medalhas. Com 9 ouros, 4 pratas e 9 bronzes, o time paulista obteve 34,4% das medalhas em disputa nesta classe.

No sub 21 o resultado foi bem mais expressivo, já que com 9 medalhas de ouro, 10 de prata e 8 de bronze, os paulistas somaram 27 medalhas que correspondem a 42,5% das medalhas em disputa.

Quando fazemos uma análise baseada apenas nos ouros a distância aumenta muito mais. Foram 9 medalhas no juvenil e mais 9 no júnior, que correspondem a 57% das medalhas de ouro em disputa nas duas classes. Além de expressivo, este é um resultado verdadeiramente surpreendente.

Os 17 Estados que medalharam em Lauro de Freitas reiteram o pensamento de que hoje, o judô acontece em todo o País. Porém, a premissa de que uma maior homogeneidade diminuiria a distância entre São Paulo e demais Estados ainda não aconteceu.

Indubitavelmente o judô nacional cresce tecnicamente, mas São Paulo está trabalhando forte e é justamente toda esta competitividade interna que torna o Brasil cada dia mais forte.

Mas não é só nos tatamis que os paulistas estão comemorando. Mesmo em um ano onde a economia do País desmoronou, os números do judô bandeirante foram positivos. Num balanço rápido da temporada 2015 Alessandro Puglia comemorou o bom desempenho dentro e fora dos tatamis. “Numa análise rápida vejo que todos Estados estão evoluindo tecnicamente, e isso é fruto do trabalho desenvolvido pelos professores e dirigentes estaduais, somado à excelente gestão feita pela Confederação Brasileira de Judô. Sem duvida alguma as políticas traçadas pela CBJ promoveram este enorme intercâmbio técnico interno e a cada ano o judô do Brasil está melhor, mas São Paulo não parou e acompanha este processo evolutivo. No âmbito estrutural estamos inovando e criando estratégias que vêm fortalecendo o judô em todas as regiões do Estado. Estas políticas estão refletindo diretamente na qualidade técnica e no número de filiados que este ano cresceu 5% aproximadamente”, comemorou o dirigente.

Confira a relação de atletas classificados na seletiva 2015 clique aqui

 

Por Imprensa FPJ

Fotos Imprensa/CBJ

 

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo