Rafael Silva é bronze nas Olimpíadas Rio 2016

O peso-pesado brasileiro, DO E.C.Pinheiros de São Paulo, Rafael Silva, conquistou o bronze na tarde desta sexta-feira, 12, na Arena Carioca 2 ao derrotar o uzbeque Abdullo Tangrieve por um yuko na disputa de medalha dos Jogos Rio 2016. Com esse pódio, o Brasil encerra sua participação olímpica com três medalhas, sendo um ouro de Rafaela Silva e dois bronzes, de Mayra Aguiar e Baby. Assim com Mayra, Baby integra agora o seleto grupo de judocas brasileiros com duas medalhas olímpicas ao lado dos paulistas Aurélio Miguel, Leandro Guilheiro e Tiago Camilo.

Medalhista também de bronze em Londres 2012, Baby começou bem, derrotando Ramon Pileta, de Honduras, e Renat Saidov, da Rússia, ambos por ippon, para avançar às quartas-de-final. Na decisão por uma vaga nas semifinais, o brasileiro não passou pelo francês Teddy Riner, que pontuou com um wazari, e foi para a repescagem. Em luta equilibrada, Rafael venceu Roy Meyer, da Holanda, na diferença de punições (2-1) e classificou-se para a disputa do bronze pela segunda Olimpíada consecutiva.

No feminino, a judoca da Associação Rogério Sampaio de Santos, Maria Suelen Altheman, que lutou no dia de seu aniversário, caiu na primeira luta contra Minjeong Kim, da Coreia do Sul.

Os demais paulistas que competiram na Rio 2016 também representaram muito bem o país, porém não conquistaram medalhas.

Charles Chibana, do E.C.Pinheiros, lutou na manhã do dia 07 de agosto, domingo, na Arena Carioca 2. Fez luta dura contra o japonês Masashi Ebinuma, mas sofreu uma imobilização até o ippon e se despediu mais cedo em sua primeira participação em Jogos Olímpicos.

“Estava uma luta bem agressiva e aqui os detalhes fazem a diferença. Me descuidei um pouco e ele acabou me imobilizando”, avaliou Chibana após a luta. “Quando a gente é criança a gente sonha em estar disputando Olimpíada, em ser medalhista olímpico. Eu sonhei e hoje estou vivendo uma realidade. Agora eu sei que é possível, então é levantar a cabeça e treinar mais para 2020. A torcida apoiando, o ginásio inteiro gritando é muito bom. Dá mais motivação para a gente levantar a cabeça, treinar mais ainda para estar sentindo essa energia de novo.”

O peso-médio Tiago Camilo, do E.C.Pinheiros, lutou na quarta-feira (10),mas parou nas oitavas-de-final da competição. Venceu sua luta de estreia, mas não conseguiu avançar às quartas-de-final.

Tiago começou bem, empolgando a torcida com um yuko e um belo ippon contra o sul-africano Zack Piontek. No embate contra o azeri Mammadali Mehdiyev, o brasileiro abriu um yuko de vantagem no início, mas acabou caindo de wazari, saiu de uma imobilização, mas não conseguiu virar o placar e se despediu de sua quarta participação em Jogos Olímpicos, deixando a Arena aplaudido de pé pela torcida brasileira.

Estreante em Jogos Olímpicos, Rafael Buzacarini, Da Associação de Judô Vila Sônia, lutou na quinta-feira (11) e começou bem com um juji gatame (chave de braço) no uruguaio Pablo Aprahamian, vencendo por ippon e avançando, assim, às oitavas-de-final, onde encontrou o japonês Ryunosuke Haga, atual campeão mundial. Dessa vez, foi o brasileiro quem levou uma punição e se despediu da competição mais cedo.

O Brasil já conquistou um ouro com Rafaela Silva (57kg), dois bronzes com Mayra Aguiar (-78kg) e Rafael Silva (+100kg), um quinto lugar, de Mariana Silva (63kg) e três sétimos lugares, com Felipe Kitadai (60kg), Sarah Menezes (48kg) e Erika Miranda (52kg).

Com informações da Assessoria de Imprensa da CBJ

Assessoria de Imprensa da F.P.Judô

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo