WorkShop de Intercâmbio reuniu judocas paulistas e japoneses no Ibirapuera

A F.P.Judô, juntamente com o Governo do Estado de São Paulo, Consulado do Japão no Brasil e Comitiva do Japão, realizou nos dias 19 e 20 de novembro um WorkShop de Intercâmbio na Arena Olímpica no Complexo Esportivo Constâncio Vaz Guimarães (Ibirapuera).

O objetivo do encontro, que contemplou aproximadamente cento e cinqüenta técnicos e atletas do judô de São Paulo e também de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul, foi trocar experiências e demonstrar métodos novos de ensino do esporte, aprofundando as relações entre o estado de São Paulo e a região de Tóquio assim como criar oportunidades para introduzir o judô tradicional japonês. Foram apresentadas introdução às técnicas de judô, além de exposição teórica sobre o esporte.

O Presidente da Federação Paulista de Judô, Alessandro Puglia, destacou a importância deste workshop, pois oportuniza judocas a melhorarem suas técnicas além de levarem todo o conhecimento adquirido no evento para as suas academias, promovendo uma difusão maior dos ensinamentos do judô por todo o estado.

Para que todos pudessem entender as dicas e explicações, o professor Yoshiyuki Shimotsu, de Mogi das Cruzes e professor Takanori Sekine, presidente o Kodokan do Brasil, foram os interpretes da comitiva nipônica para os participantes.

Conheça os judocas japoneses que ministraram o workshop:

Shinobu Sekine: Kodansha 9º Dan, Presidente da Federação de Judô de Tokyo e campeão olímpico em Munique, 1972.

Tomoki Takeya: Professor de judô na Universidade da Cidade de Tóquio, policial de Tóquio e vencedor da Copa Kokokan Chiba

Masashi Nishiyama: Medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres.

Koji Komuro: Especialista em Ne-Waza, foi professor do Instituto Kodokan e atual professor e treinador do clube de judô da escola secundária Tokyo Daigaku, foi campeão mundial na Hungria (2000) e campeão mundial em katame-no-kata em 2010

Hideo Sogame: Membro da comissão japonesa

Sra. Mai Nakamura: Interprete dos Membros da comissão japonesa

Os participantes e também os palestrantes saíram do workshop bastante satisfeitos, pois foi uma oportunidade singular poder aprender mais sobre o judô diretamente na fonte, fato esse que pode ser comprovado pelos depoimentos realizados.

. “Ficamos impressionados com a comportamento dos professores brasileiros. Quando realizamos cursos como este, no Japão, recebemos atletas das classes juvenil e júnior, mas aqui vimos poucos praticantes jovens e, em média, a faixa etária dos participantes era bem elevada. Os professores e técnicos do Brasil mostraram grande vontade de aprender e neste contexto destaco que havia muita gente graduada, o que comprova o comprometimento e a humildade dos judocas deste País”, disse o professor Shinobu Sekine.

Takahiro Nakamae, Cônsul Geral do Japão, destacou a importância da realização de intercâmbio entre o Brasil e o Japão.             “Em nome do Governo do Japão dou boas-vindas a todos que aqui vieram para participar e prestigiar este importante evento. Entendo que tanto o Brasil quanto o Japão possuem culturas riquíssimas e repletas de peculiaridades, mas acredito que temos de promover um intercâmbio cada vez maior em todas as áreas, e o esporte está inserido nesta proposta. Este evento mostra os laços culturais que unem nossos países”.

Airton Carlini destacou a importância da transmissão do conhecimento. “Entendemos que a realização de eventos como este são de extrema importância no sentido de estarmos adquirindo e difundindo conhecimento técnico. A atual diretoria da Selj está empenhada na retomada do crescimento do esporte paulista, e a realização deste evento comprova este pensamento”.

O professor kodansha 6º dan, Roberto Mityo Harada,elogiou o curso promovido pela F.P.Judô. “Vivo no Mato Grasso do Sul, onde encontramos enorme dificuldade para nos reciclarmos tecnicamente, e vim a São Paulo especificamente para acompanhar o curso ministrado pelos senseis japoneses. Fiquei muito impressionado com a quantidade de informação fornecida pelos professores do Japão e volto para casa muito feliz com tudo que pude vivenciar aqui, mas penso que cursos como este deveriam ser realizados em todas as regiões do País”.

Márcio Yafume, de Belo Horizonte,falou sobre a importância da troca de conhecimento. “A Federação Paulista de Judô está de parabéns por realizar um evento que nos proporcionou enorme aprendizado. Os japoneses são extremamente comprometidos, solícitos e por diversas vezes repetiram as técnicas visando fazer a maior transmissão de conhecimento possível para todos nós”.

Na avaliação de Joji Kimura o ponto alto do curso foi a qualidade pedagógica dos professores japoneses. “A vinda de atletas e professores deste nível proporciona um ganho técnico enorme para todos aqueles que participaram do curso, mas principalmente para a base do judô. Percebemos que nestes dois dias eles passaram vários exercícios e formas atuais, da prática do judô no Japão e indubitavelmente isso vai repercutir no preparo das novas gerações e até mesmo no preparo dos atletas para o próximo ciclo olímpico. O capricho, a dedicação e a clareza didática mostram o compromisso destes professores com o desenvolvimento técnico do judô no mundo todo”, explicou o dirigente da F.P.Judô.

Todos os participantes receberam um certificado do WorkShop.

Texto: Everton Monteiro e Paulo Pinto

Fotos: Marcelo Lopes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fique por dentro de eventos e notícias locais das Delegacias Regionais

Nossos Parceiros

Logo Parceiros

Nossos Apoiadores

Logo Apoiadores

Nosso Instagram @fpjudo